Conservação e Melhoramento

Na elaboração, acompanhamento e execução do programa de melhoramento a APACRA conta com o apoio científico da Escola Superior Agrária de Ponte de Lima – Instituto Politécnico de Viana do Castelo (ESA-IPVC) e da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

A recolha de registos genealógicos e produtivos é realizada pelos técnicos da APACRA, sendo efectuadas pesagens à identificação e, por amostragem, entre a identificação e o desmame. 

Além disso são também pesados na data de abate.

Os animais adultos são avaliados morfologicamente. 

Nas explorações do núcleo de selecção e no caso dos machos, a avaliação morfológica tem por base uma tabela de classificação linear.

Os testes de performance em estação são realizados no Centro de Testagem de S. Torcato – Guimarães, de acordo com o regulamento de testagem aprovado pela DGAV. Podem ainda ser realizado os testes de performance no Centro de Recria e Testagem da Raça Minhota, de acordo com o mesmo regulamento.

Os registos de movimentos, assim como os pesos de carcaça, são recebidos semanalmente, através da sincronização do SNIRA com a base de dados do LG utilizada pela APACRA (Genpro).

Caracteres que se pretendem seleccionar/melhorar (objectivos de melhoramento):

  • Parâmetros Reprodutivos: idade ao primeiro parto, intervalo entre partos, duração de gestação, facilidade de parto e longevidade produtiva;
  • Parâmetros Produtivos: peso ao nascimento, peso aos 120 e 210 dias; peso da carcaça e estiva;
  • Tipo

 

Caracteres e justificação técnica

Avaliação do crescimento

Redução dos períodos improdutivos

Redução dos períodos improdutivos

Redução dos períodos improdutivos

Diminuição da taxa de substituição e aumento da produtividade numérica

Redução das distócias

Avaliação do rendimento e conformação de carcaça e uniformização do peso de abate

Uniformização do tipo

A avaliação genética e a caracterização genética por análise demográfica são realizadas pelo Departamento de zootecnia da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Os dados relativos às inseminações artificiais são enviados pela ABLN, recolhidos pelas brigadas de campo ou enviados pelos inseminadores que colaboram com a APACRA