Historial e Aptidões

Em meados do séc. XIX, a Raça Minhota representava cerca de 50% do efectivo bovino total na região do Minho, com cerca de 65.000 cabeças, altura a partir da qual a Minhota entrou em declínio, sendo em 1940 o seu efectivo de apenas 9.500 cabeças, o que representa uma diminuição de 85%. 

No final do século XIX e início do século XX deu-se o estabelecimento das indústrias de lacticínios do Noroeste Minhoto. Devido à boa aptidão leiteira da raça e à sua rusticidade, esta passou a ser explorada na função de produtora de leite, em particular no distrito de Viana do Castelo onde a Frísia não teve grande aceitação, permitindo a fixação de um núcleo puro nesta região.

O efectivo minhoto continuou a sofrer oscilações até que, em 1997, entrou em funcionamento o Registo Zootécnico da Raça Minhota, encetando medidas que visavam a preservação e o melhoramento da raça, consolidadas apenas em 2002, com o reconhecimento do perigo de extinção desta raça por parte da União Europeia. 

Nesse ano iniciaram-se as ajudas financeiras aos criadores no âmbito das Medidas Agro-Ambientais para criadores que assumam o compromisso de criar a raça Minhota em linha pura.

Trata-se da única raça portuguesa de tripla aptidão (carne, leite e trabalho), ocorrendo a exploração da vertente leiteira apenas em algumas freguesias dos municípios de Ponte de Lima e Viana do Castelo onde ainda existem Salas Colectivas de Ordenha Mecanizada. Os níveis de produção situam-se entre os 3500 e os 5500 kg de leite aos 305 dias, com um teor butiroso de 4,4% e um teor proteico de 3,5%.

Em algumas explorações mais tradicionais, estes animais ainda são utilizados como força motriz para os trabalhos agrícolas e para o transporte de forragens, mato e estrume.

Relativamente à produção de carne a Minhota destaca-se de todas as raças nacionais pelo seu elevado desempenho produtivo. O principal produto é a vitela, ocorrendo a venda de animais para abate em média aos 6,01 meses para as fêmeas e 7,29 meses para os machos. 62,5 % dos abates de animais de raça Minhota resultam em carcaças de categoria V (idade menor que 8 meses), com um peso médio de carcaça de 146,9 ± 29,23 kg. De realçar os elevados ganhos médios diários e rendimentos de caraça.

A carne resultante destes animais apresenta uma alta luminosidade, de tons rosados pálidos e um elevado índice de amarelo, próprio de animais não desmamados.

Parâmetros Produtivos da Raça Minhota

(deslize para o lado para ver toda a informação)

Peso Vivo Médio (kg) Peso Vivo Médio (kg) GMD (g/dia) GMD (g/dia) Carcaça (kg) Carcaça (kg) Rendimento de Carcaça (%) Rendimento de Carcaça (%)
M F M F M F M F
Nascimento 48 46 - - - - - -
3 meses 131 121 920,7 827,9 - - - -
6 meses 247 217 1.294,4 1.069,8 158 130 55,68 52,47
9 meses 364 297 1.300,6 889,2 223 161 55,81 52,16
0-9 meses - - 1.179,9 928,9 - - -